11 março 2018

[Resenha] O Exorcista

  • Lançado pela primeira vez em 1971 pela editora Harper & Row, o livro chegou para explodir cabeças após gerar muitas noites em claro dos leitores. No Brasil, a primeira edição data de 1972 pela Editora Novo Conceito.


Exorcista
William Peter Blatty
Ano de Lançamento dessa edição: 2016
HarperCollins Brasil
Número de Páginas: 330

♥ Adicione a estante

Onde Comprar: Amazon 
Classificação: ★★






Sempre adiei a leitura de O Exorcista. Tinha medo, receio e tudo mais que da pra imaginar.

Mas desde criança eu nunca tinha tido coragem nem de assistir o filme, então nem é de se estranhar. Adoro filmes como: O Massacre da Serra Elétrica, A Hora do Pesadelo e etc, mas quando envolve o "Capiroto" eu me cago toda...kkkkkkkkk

Então depois que me envolvi a ler livros de suspense e terror, me vi em um beco sem saída e depois de conversar com algumas pessoas resolvi arriscar, pois como diz um instafriend meu "Você vai entrar em outro patamar depois que ler este livro" Não tinha como não ler né?! Quando terminei a leitura a primeira coisa que pensei foi: "Por que eu demorei tanto para ler?!"

Bom, chega de blá, blá, blá e vamos ao que interessa.





Uma curiosidade: O autor decidiu escrever o livro após ficar impressionado com uma história que viu no jornal sobre um garotinho de 14 anos que passou por um exorcismo.

  • “O que parecia uma manhã era o começo de uma noite sem fim.”


Neste livro conhecemos a pequena Regan e sua mãe Chris MacNeil, uma atriz famosa que está filmando em Georgetown e sofre com as inesperadas mudanças de comportamento de sua filha  que logo começa a ficar estranha e muito doente. Sua mãe pede a ajuda de diversos médicos renomados e a única conclusão dos médicos é que ela sofre de problemas  psiquiátricos e sem nenhuma solução para cura, tornando assim o seu quadro ainda pior com o passar dos dias.



Quanto mais Regan vai se transformando, menos a ciência vai encontrando respostas para o seu problema. E assim que todas as esperanças de Chris vão pelo ralo, ela resolve apelar para a religião. Chris decide pedir ajuda ao padre  Karras, porém após vários acontecimentos em sua vida pessoal, Karras é Cético quanto a fazer um exorcismo em Regan e faz vários exames para se certificar de  que a garota sofria não era na verdade uma doença.

Durante a leitura do livro, vamos acompanhando vários acontecimentos na vida de Regan e sua mãe, mas também com o padre Karras e também com o detetive William, que quando é inserido na história, trás uma bagagem de perguntas mas também nos ajuda com várias respostas acerca do que acontece com Regan, mas até que fique comprovado que o que aflige a garota é realmente um demônio, muita coisa acontece e é aí que se tem a magia da escrita de Willian Peter Blatty pois esse livro não se trata somente de terror, pois de uma maneira bem sutil o autor nos faz questionar o que pode justificar os eventos que acontecem na casa de Chris e Regan, se há  algo realmente sobrenatural e que  foge da nossa compreensão.

.

2 comentários:

  1. Olá, Day.
    Que interessante a história do livro.
    Eu não fazia ideia que o autor se inspirou numa história no jornal sobre um garotinho.
    Eu tenho a obra, mas ainda não li.

    Fiquei bem interessada depois dos seus elogios.

    Beijos,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br/

    ResponderExcluir

© Lendo 1 bom livro - Por Day Morais | - 2016 - Layout Criado Por: Pepi Artes Digitais imagem-logo